Baixar Incomunicável – Haikaiss e Kant

Incomunicável  - Haikaiss e Kant

Informações

Artista / Banda: Haikaiss e Kant
Nome da Música: Incomunicável
Gênero Músical: Rap
Ano de Lançamento: 2020
Tamanho do Arquivo: 5 MB
Formato do Arquivo: Mp3
Qualidade: 320 kbps
País de Origem: Brasil
Idioma: Português

Download

Letra da Música


Incomunicável

Ayy, hmm

[Pedro Qualy]
‘Cês fala demais
Mas tu vê no final que ‘cês são cu de ampola
Tu pode chorar, implorar
Pois tu nunca terás a foto da minha rola
Aquele que rima, te tira, te zoa
Termina e os mano grita: “Ôrra!”
A última gota do choro do serial killer cortando cebola

[Kant]
Kant, ayy, ayy, ayy
Oh, oh, oh
Meu Jingle Bell bebeu e transou com a Bebel
O novo Papai Motel sou eu, ho, ho, ho, oh, oh
Atirando hit nesse beat, pow, pow, pow
Clássico como um feat de Akon e J. Cole, cole, cole, cole
Só que na versão de um cão de briga
Minha mãe me vê flipando e já vem ligando
No, no, no, no, não, mãe, tô escrevendo com o Qualy
Meu papel é tá no mic, não sou bom nos likes
Não visto o hype, só subo nas rimas como Busta Rhymes
Se me ver com raiva, então, mano, corra
Porque o bom Hades já morreu de AIDS
Hoje eu tô de hack, insulto tão max
Agora é nós que domina essa porra
Kant, Qualy e Spinardi
Pra escrever essa eu fui dormir tarde
Acordei muito cedo pra cuspir
Num beat com Spi um speed hard, vim de Marte
Veloz essa porra como se fosse Vin Diesel
Incomunicável, invisível
Se esses cacos são vendidos como arte
Na cova o Da Vinci arde
Pensam que eu só penso em flow? No
Miro numa vítima e vou, pow
Sei que o meu verso te bugou, oh
Procura minha letra no Google
Sou o próprio foda-se, ele me formou, vou
Atacar todo mundo e ficar mais feliz que Fábio Assunção quando chega sexta-feira
Oh, oh

[Spinardi]
Ah, tudo o que faço, tudo que me falam eu boto fora do baralho, seu hype é o caralho
Olha como eu laço, quem fala que eu sou velho vai pra casa do caralho
28 é muito pouco pra quem pensa do contrário
Tipo Super Mario, te mandei pro ralo
Que eu não sou de embalo e nem falo besteira à beira do fim de semana
Fala memo, maloqueiro, tic, tic, tic, tic, tic, ti, cheira
Cheiro da goela, falo como o dom que te supera
Mas pera, que hoje meu reforço é meu suporte, virei
Pra rimar com Kant e Spinardi, parceiro, então cante bem
Não me compare a Kurt Cobain
Tenho tendências, mas tudo bem
Hoje me chamam de Coringa
Aquele Coringa rap do trem-bala
Pouco me lixando pro que vagabundo fala
Rima que não para vindo igual tapa na cara também
Levei nas costas meninos briguentos
Olha que nem o meu sangue tem
Minha influência? Wu-Tang
Qual seu problema com Eminem?
Quero que se foda o que ‘cê pensa, o que ‘cê fala
Só não quero que se foda o que passou no ENEM
Tudo que hoje respira comparam com alguém
Leminski já disse que hoje que tudo respira já conspirou também
Tu deve tá falando com os amigo do seu lado
Que meu nome nessa track só falou besteira
Debate com os amigo do boteco sexta-feira
Tic, tic, tic, tic, tic, ti, cheira

[SPVIC]
Ela salvou minha foto no seu desktop
Pediu um gole do meu copo
Ela salvou minha foto no seu desktop
Pediu pra eu ganhar o campeonato, foco
Pela fonte pouca fé, passa a marcha pela habilidade, quem?
Tiro vem, tiro vai, tiro vem, tudo bem
Viro rei, quero mais, tenho a Benz, mano, eu sei
Fudi a lei, sequelei, avisa, o rap de verdade (Sim)
Vic, BIC do colégio a faculdade
Diretor, filho da puta, kamikaze
Os cara pensa em ficção e eu no ECAD
Molecada, vai pra casa que tá tarde
SP no grave, comitê do chave, último da fase, beat do Biasi
Vacilo não cabe, tanto mano mano a mano, a rapa sabe, ataca e peida, larga o cano
Mano, teu papel é de bobo na cidade
Trinca a tinta? A vida nos 30
Nós rima, brinca, a briga que pinta
Mestre da língua, inimigo míngua
Cada linha vinga
Trinca a tinta? A vida nos 30
Nós rima, brinca, a briga que pinta
Mestre da língua, inimigo míngua
Cada linha vinga

[Pedro Qualy]
‘Cês fala demais
Mas tu vê no final que ‘cês são cu de ampola
Tu pode chorar, implorar
Pois tu nunca terás a foto da minha rola
Aquele que rima, te tira, te zoa
Termina e os mano grita: “Ôrra!”
A última gota do choro do serial killer cortando cebola

[Pedro Qualy]
Pedro Qualy!
Vim designar
Você deve ter perdido suas insígnias
Vim aqui pra te deixar com estigmas
Cada um que ramelou significa
Salve, mano Guiga vulgo sigmar
Levando uma vida digna, mas atividade
Tive que obter meu próprio catarse
Antes de entrar em cartaz
Mas aqui jaz um bom jazz, pétala do mal-me-quer
Ou morde as costa ou dorme em pé
Efeito dominó, levada do Aminé
Eu nunca entendi, Maktub ou c’est la vie
Aí, brother, aê, man
Tu não vai ficar cantando nessa aqui também, né?
Não, veja toda situação
Tire sua conclusão, porompompom
Eu vou fazer uma rima suporte que eu tô merecendo então
Vou fazendo agora um rap de mensagem
Cocaína não é brinquedo, é doença
Deu pra perceber a diferença?
Memo grupo, várias crença
Se você não cola, tu não vai dar goela
Vou perder minha costela de tanto comer costela
De tanto que eu tô lucrando, de tanto que eu sou poeta sem dar trela
Mente chave contra mente cela

[Kant]
Caras mais velhos dizem que eu sou muito novo
Pra fazer o que caras mais velhos ainda não fazem bem
Por isso que eu chego nessa track atirando tipo bang, bang, bang
Ei, man, man, man, a mais de cem, cem, cem
Degolando tudo que eu vejo na minha frente como se eu fosse uma serra elétrica
Vrem, vrem, vrem e tem, tem, tem
Um grande problema, eu não curto vê-lo
O meu tempo é curto, telo seu tempo se torna curto
Se acidentalmente for nocauteado por meu cotovelo
Dissolvendo pensamentos fazendo com que eu possa derretê-los
Pra mais tarde deixarem de se tornar meu pesadelo
Esse monstro criado em mim não há como removê-lo
Eu penso em causar meu fim, mas esse rap quem que vai desenvolvê-lo?
Meu filho ainda é novin’
Quando eu vejo os problemas do mundo, ficam leve como um novelo, é bem assim
Finish him pra mim, enfim, manin’, não há como fazer apelo
Esse é meu filme de terror e adivinha quem escreveu o roteiro

[Spinardi]
Rima vem no pelo, faço isso o tempo inteiro
Paga o preço, caloteiro, que arrepio teu cabelo
Que eu não faço na metade, faço o melhor dessa porra
Falador de cotovelo do meu lado um bando de filha da puta sem futuro, vida curta
Maloqueiro chuta, maloqueiro chuta
Mano, para, para, para, para, para
Já falei na Rap Lord quem domina esse roteiro por inteiro
Que eu tô pouco me lixando pra competição, não fode
Como é que se pode, como é que se fala?
Vacilou, leva na cara, mano a mano ‘cê não aguenta
Mano, olhe pela fenda, veja aquilo que passamo’
No pique do chapa coco, louco é pouco
Rei do speed flow no topo
Deixa que ele pense que você não tá no jogo
Mano, deixa que no time esse buraco é mais embaixo

[Spinardi]
Rap levada de mago, ‘cê sente o estrago do bico do corvo
Rap levada Haikaiss, Kant fede, um nojo
Oh, gee

VideoClipe

Baixar Também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *